OS CUSTOS DA QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000: UM ESTUDO COM DADOS EM PAINEL DE COMPANHIAS ABERTAS BRASILEIRAS

Autores

  • Francisco Carlos Tadeu Starke Rodrigues
  • Laércio Baptista da Silva
  • Wilson Toshiro Nakamura
  • Diógenes Manoel Leiva Martin

DOI:

https://doi.org/10.47179/abcustos.v3i3.62

Palavras-chave:

ISO 9000. Custos da Qualidade. Produtividade. Giro dos Ativos. Dados em Painel.

Resumo

Apesar do tema custos da qualidade continuar presente nas discussões acadêmicas, percebe-se pouca utilização prática de seus conceitos. Pesquisadores têm alertado para a baixa adesão de sua real implantação nas empresas. Alternativas, portanto, devem surgir para que uma empresa possa mensurar se seus esforços produzem desempenho superior para todas as suas partes interessadas. Propõe-se com este estudo a substituição das propostas tradicionais de mensurar os custos da qualidade distantes da prática contábil clássica pela avaliação de um conjunto de indicadores que meçam e monitorem a satisfação das partes interessadas em uma organização. Uma dessas ferramentas é a implantação da ISO 9000. Essa norma estabelece que uma organização deva monitorar informações relacionadas à percepção do cliente quanto ao atendimento de seus requisitos. Uma empresa, ao se certificar, produz melhores resultados, já que investe em melhoria contínua. A proposta deste estudo é apresentar resultados financeiros alcançados por companhias abertas brasileiras certificadas pela ISO 9000, evidenciando que elas se utilizam dos mecanismos gerenciais propostos pela norma para alcançar melhores resultados. Ao estudar 44 companhias abertas brasileiras certificadas, por meio de dados em painel estático no período de 1995 a 2006, percebeu-se que houve contribuição estatística significativa da certificação para a diminuição dos custos de produção e para o aumento do giro operacional dos ativos.

Downloads

Publicado

2008-12-16

Edição

Seção

Artigos e resenhas