UTILIZAÇÃO DO MÉTODO UEP PARA COMPARAR A LUCRATIVIDADE DAS LINHAS DE PRODUÇÃO DE PEQUENA INDÚSTRIA DE ARTEFATOS DE CIMENTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47179/abcustos.v16i3.616

Palavras-chave:

Resultado por linha de produção. Custo de transformação. Método UEP.

Resumo

O artigo objetivou mensurar, comparativamente, o custo de transformação dos produtos de duas linhas de fabricação para conhecer a margem de contribuição fabril total desses segmentos em determinado período. Foi utilizada metodologia do tipo descritiva, com abordagem qualitativa e no formato de estudo de caso. O método de custeio das Unidades de Esforço de Produção (UEP) foi utilizado para apurar os custos de transformação do mix produzido nas linhas “Prensa” e “Tubos”, o que facilitou o cálculo da margem de contribuição fabril total do período nesses setores produtivos. Os resultados decorrentes permitiram dessumir que a linha de produção “Prensa” é a mais lucrativa, porque foi responsável por 57,83% do resultado operacional do mês, apesar de ter somente 47,16% de participação no faturamento mensal. Ou seja, mesmo vendendo menos que a linha “Tubos” (R$ 84.260,66 contra R$ 94.406,53), os produtos da linha “Prensa” conseguiram gerar margem de contribuição fabril maior (R$ 32.469,39 contra R$ 23.678,46). O estudo contribui pelo uso do método UEP numa fábrica de pequeno porte com a finalidade de conhecer a lucratividade de suas linhas de produção, uma abordagem que não costuma ser encontrada na literatura sobre métodos de custeio. Ainda, evidencia a relevância de apurar o custo fabril de modo consistente para subsidiar as análises sobre a performance de segmentos de mercado, priorizando-se o fator “lucratividade” em detrimento do critério “faturamento”.

Biografia do Autor

Rodney Wernke, Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.
Ex-professor universitário, Consultor de Custos e Finanças.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Edição

Seção

Artigos e resenhas