ANÁLISE DE EFICIÊNCIAS TÉCNICA E DE ESCALA DAS INDÚSTRIAS DO PÓLO MOVELEIRO DE UBÁ

Autores

  • Ana Cristina Miranda Rodrigues
  • Suely de Fátima Ramos Silveira
  • Daphine Alberti de Freitas
  • Marco Aurélio Marques Ferreira
  • Luiz Antônio Abrantes

DOI:

https://doi.org/10.47179/abcustos.v3i3.61

Palavras-chave:

Custos de marketing. Custos nos serviços. Setor hoteleiro.

Resumo

As organizações devem conhecer os custos e as despesas de suas operações para estruturar um modelo de formação de preços e tomar decisões mais acertadas, além de estabelecer estratégias de segmentação de mercado e gerar lucro. Entretanto, as indústrias do setor moveleiro de pequeno e médio portes, como, também, as microempresas desta atividade, tendem a ter alguma estrutura de controle de custos, porém, não totalmente sistematizada. Considerando a relevância do Pólo Moveleiro de Ubá, onde existe a predominância de indústrias desses portes, uma questão foi levantada: Qual o nível de eficiência dessas indústrias? O objetivo deste trabalho foi, portanto, analisar as eficiências técnica e de escala das indústrias do Pólo Moveleiro de Ubá, em 2007, a partir dos custos de produção. Constatou-se que das 33 indústrias moveleiras analisadas, 4 não apresentaram problema de escala, porém não podendo aumentar o faturamento sem elevação dos custos de produção. Em relação às empresas ineficientes, 10 apresentaram apenas problemas de eficiência de escala, com a correta utilização dos insumos (custos de produção), e 19 apresentaram problemas de excesso de insumos e problemas de escala. Os resultados ainda indicaram que as empresas ineficientes poderiam aumentar o faturamento: (a) em 19%, caso utilizassem adequadamente os insumos; e (b) em 28,4% com os mesmos insumos, se estivessem operando em escala correta.

Downloads

Publicado

2008-12-16

Edição

Seção

Artigos e resenhas